post

É dia 17 de maio: dia nacional da Noruega

Hoje é feriado nacional aqui na Noruega. 17 de maio é uma data especial, também conhecido como o dia em que foi assinada a constituição. Todo ano esse é o dia dos noruegueses colocarem suas melhores roupas, reunirem amigos e famílias e irem para a rua comemorar.

Em todo o país há desfiles pela rua e o que eu acho legal é que são com a participação especialmente de crianças, diferente do que estamos acostumados no nosso dia da independência com parada militar. Além disso, apesar de estarem super elegantes, ou com as trajes típicos ou roupas de festa, o clima é super informal e descontraído.

Essa é a data favorita de comemoração norueguesa e eles levam muito a sério isso. As comemorações começam no café da manhã mesmo, normalmente com champagne, e continua o dia inteiro. Eu acho lindo de ver todos se vestindo com roupas típicas muito felizes se parabenizando pelo dia. Fora que as roupas são uns espetáculos!

E sabe qual é a comida típica? Salsicha e sorvete! Sim, nada mais típico. Nosso dia também teve um pouco disso, mas com mais alguns ingredientes nutritivos. Acordamos cedo e fizemos uma torta de maçã típica, depois fomos para o centro ver o desfile e almoçar na casa de amigos. A alegria dos noruegueses nesse dia é contagiante e aprendemos a gostar também de 17 de maio, por isso queria dividir algumas imagens por aqui. Espero que gostem!

1 4 7

6

Metade da decoração minha, metade do Gael

9 10 12 13 14

post

Inverno em Oslo com criança

FullSizeRender-kk

Antes de me mudar para Oslo pensava que os meses de inverno seriam todos cobertos de neve. Mas a verdade que todos os três invernos que passamos aqui não foram assim (na verdade foram quatro, mas ano passado ficamos quase dois meses no Brasil, pois estava de licença maternidade). Tem muito frio sim, mas não teve muita neve.

Porém esse ano foi o pior de todos. Nevou um pouco no final de outubro e todos pensaram que esse inverno seria bem frio, mas depois disso só choveu, nevou quase nada! Natal foi sem neve nenhuma, e natal sem neve não é especial. Só foi começar a cair um pouco de neve no meio de fevereiro.

E quando tem um final de semana com neve acumulada a cidade fica linda demais. Não só pela neve, mas pela alegria das pessoas curtindo. Norueguês AMA natureza, fazer passeios de trilhas, subir a montanha, esquiar. E esse país tem muitas paisagens incríveis.

Para o dia dia neve é mais complicado, porque engarrafa, é difícil de empurrar o carrinho, às vezes tem gelo embaixo que escorrega, demoro bem mais tempo tentando não cair. Mas nos finais de semana é diversão garantida para todas as idades. É muito gostoso, ainda mais agora no final de fevereiro e março, quando os dias estão mais longos e dá para aproveitar mais tempo.

Oslo tem muitas possibilidades, estação de esqui alpino dentro da cidade e várias trilhas para esqui cross country, que é o favorito dos noruegueses. Tudo isso fácil de chegar de transporte público. Além disso, tem muitos parques com morros e ladeiras perfeitos para brincar com trenós. Sério, eu amo muito um dia de neve ensolarado de fevereiro. É diversão gratuita e perto de casa.

Gael fica encantado com a neve. É apaixonante vê-lo levantando a mãozinha para pegar os floquinhos de neve que caem lentamente do céu, enquanto abre a boca numa expressão de “OOOhhhh”. São muitas gargalhadas, ao mesmo tempo que quer pegar e jogar, não gosta que acumule neve na sua roupa e está sempre limpando. Descer de trenó ele curte muito também, desce gargalhando. Agora estamos deixando ele descer sozinho de morrinhos bem baixo e ele gostou ainda mais porque vamos correndo do lado.

Sim inverno cansa, usar muitas camadas é bem chato, sentir frio também não é bom. Mas o melhor é comprar boas roupas de frio, uma lã bem quentinha e se jogar na diversão. Por isso, ao mesmo tempo em que espero ansiosa pela primavera, que não vejo a hora de sair de pernas de fora na rua, e porque a vida é assim cheia de contradições que eu digo: Viva a neve, neva mais!

IMG_7856IMG_7782 IMG_7904 IMG_7924

 

post

Natal na Noruega

Esse ano é o primeiro natal que vamos passar aqui depois de cinco anos. Apesar de sentir falta da família, estou tentando olhar as coisas boas daqui. Além de ser o primeiro natal com neve de verdade e não de isopor como no Rio, tem muita novidade para nós brasileiros, por isso resolvi separar algumas para falar aqui.

Lysfesten: A festa das luzes acontece no início do inverno. Quando os dias curtos e as noites longas se tornam mais marcantes. Na creche do Gael foi organizada uma festa para pais e crianças. Muitas velas foram colocadas dentro de potinhos de vidro que eles mesmo pintaram. Foram servidos sopas e legumes grelhados, cantamos músicas e passamos um agradável tempo celebrando o início dessa época de natal. Eu fiquei muito feliz de estar participando pela primeira vez de uma festinha da creche do meu filho, um momento para ser lembrado.

img_7282

Calendário do Advento: Marca a contagem regressiva para o natal. Muitas famílias fazem um calendário para as crianças com cartolina e desenham 24 janelinhas, a partir de 1. de dezembro vão abrindo uma janelinha por dia. O mais comum é colocar um presentinho por dia, mas pode-se criar outros prêmios alternativos para quem não quiser comprar tantos presentes. Já vi mães trocando brinquedos com outras mães, sem ter que comprar novos e na creche do Gael fizeram um caledário com vários corações grandes de cartolina e um número para cada dia, Gael ganhou o dia 5 e ficou super contente. É também muito fácil encontrar esses calendários prontos para vender que já vem com prêmios, aí depende do orçamento de cada um.

É tradição também colocar um arranjo com quatro velas e acender uma a cada domingo que antecede o natal. A origem dessas coroas vem de uma tradição pagã européia. Conta-se que, na escuridão do inverno, ao redor de folhas eram acesas velas que simbolizavam o “fogo do deus sol” com a esperança de que sua luz e seu calor voltassem. E para evangelizar as pessoas, os primeiros missionários aproveitaram a tradição, dando novo significado a esse costume.

Luciadagen – Dia de Santa Lúcia: Celebrado dia 13 de dezembro, é uma tradição aqui na Escandinávia. As crianças costumam vestir-se de branco, e se deslocam em grupo, tipo uma procissão, cantando músicas tradicionais e segurando velas (ou luzes). É também típico comer “lussekatt”, que é um pão de açafrão e passas.

4178990133_50e2c74e90_b

Lussekatt açafrão

img_7299

Gael fazendo o seu pão na creche

Mercados de natal: é muito comum ter mercados de natal nessa época. Aqui em Oslo tem um bem tradicional no centro da cidade, onde transformam um lago em pista de patinação e montam também restaurantes e outras atrações como roda gigante e carrossel. Eu adoro ir lá, nunca acho nada de interessante para comprar, mas gosto do clima do local.

csm_stjernehimmelen_handlegate_soft_opening_9077851c18

Klementine: Essa época do ano tem cheiro de tangerina. A fruta aparece à venda aos montes em todos os mercados e deixa um cheiro marcante no ar. Como brasileira eu nunca imaginei dizer isso, mas depois de morar tantos anos aqui eu digo: Natal tem cheiro de tangerina. Em todos os lugares que você vai te oferecem uma, dessas bem pequenininhas, que é fácil comer várias. No trabalho as pessoas compram sacola e distribuem, na natação do Gael tem uma cesta para os pais que assistem a aula, as lojas colocam cestas com frutas também. E ninguém reclama do cheiro, é o aroma dessa época.

Julebord: É como os noruegueses chamam os jantares de comemoração de final de ano. A partir de novembro já começa a acontecer. As empresas organizam suas festas, amigos marcam jantares, todos valorizam muito esses encontros e colocam suas melhores roupas. No meu trabalho as pessoas se vestem de forma super informal, mas no jantar é como se fosse casamento no Brasil.

Decoração: É costume limpar a casa para receber os amigos e decorar ela toda. Colocam as velas do Advento e Estrelas iluminadas na janela. As árvores de natal costumam ser de verdade ( a nossa é de plástico), nessa época surgem várias opções com árvores fresquinhas para a sua casa. Se tiver disposição você pode também ir na floresta cortar a sua árvore, existem regiões onde é permitido. Parece uma ideia linda e divertida, mas pelo que fui informada se torna um programa de índio, já que não é fácil cortar, depois tem que amarrar, carregar até o carro… Enfim nossa árvore é de plástico porque achamos que Gael ia derrubar e não queria terra pela casa. Aliás, esse é o primeiro ano que montamos uma árvore, afinal é o primeiro natal que passamos aqui e ele é muito especial, pois é o primeiro natal de verdade do Gael, no outro ele era muito pequenininho. Montamos a árvore super animados com a reação que ele teria, mas Gael foi bem tranquilo, curtiu as luzes e gosta de tirar as bolinhas, pede para colocarmos na árvore de novo e depois tira mais uma vez e por aí vai… Mas na maior parte do tempo ele nem dá muita bola para a árvore.

Nisse: O papai noel aqui é diferente. É um gnomo que vive nos celeiros das casas e toma conta dos animais. Ele deve ser tratado bem e no Natal ele espera receber uma boa tigela de risgrøt (veja próximo tópico) . Se for bem tratado, continua a tratar dos animais e até distribui presentes. Na verdade dizem que esse é o papai noel original, o que conhecemos foi introduzido pela cultura americana. Diz a lenda que caso não seja bem tratado pela família, ele pode maltratar e até matar os animais dos quais cuidou. Na dúvida, mesmo não tendo animais, melhor deixar a tigelinha à mostra.

Comida típica: Esse tópico merece subtópicos:

Risgrøt: Creme de arroz doce. Este é o prato oferecido aos nisse no Natal. Nele, é costume esconder uma amêndoa e quem encontra ganha um julegris, que é um porquinho feito de marzipã. Tem também uma variação que alguns chamam de riskrem, uma sobremesa servida gelada feita à base de arroz com adição de creme e cauda de frutas vermelhas.

risengrynsgrot

Pepperkake: biscoitinhos de gengibre. Muito comum comprar a massa, moldar em casa e decorar com docinhos, ou fazer uma casinha de biscoito. Alguns se reúnem e montam cidade de pepperkake.

2432455214_ec5fb56a27_b

Pinnekjøtt, lutefisk e ribbe: São os pratos típicos da ceia. Pinnekjøtt e ribbe são mais populares que o lutefisk, que mereceria um post só para ele. Basicamente é peixe com soda cáustica, se tiver interesse de entender melhor isso aí, clica aqui. Ribbe é costela do porco, que eles assam com uma camada enorme de gordura e deixam no forno em alta temperatura até essa parte ficar dourada e crocante. O Pinnekjøtt é costela de ovelha salgado e seco.

Comemoração do Natal: Começa no dia 23 à noite, acendendo as luzes da árvore, reunindo a família e cantando músicas juntos. E continua o dia 24 inteiro, não precisa esperar até de noite!

Enfim, essa época é muito comemorada por aqui. Acho que se jogar nas festas é também uma forma de encarar essa época do ano que é tão difícil, fria e escura, precisamos mesmo encontrar os amigos e nos aquecer, pois é só o início do inverno. Depois se eu lembrar de mais alguma coisa depois atualizo isso aqui. Espero que gostem 🙂

dsc_0030

post

O começo na creche

Assim eu fui para o primeiro dia na creche 🙂

Outro dia estava voltando do trabalho correndo para pegar meu filho na creche e de repente me deu uma sensação estranha… “Caramba, estou indo buscar meu filho na creche”. É muito louco isso, passei a vida inteira cumprindo o papel de filha e às vezes ainda me surpreendo por estar “do outro lado agora”, no papel de mãe.

E a vida passa tão corrida que uma coisa vai acontecendo atrás da outra, parece que não há muito tempo de ir assimilando tudo, vamos fazendo da melhor maneira que dá. E foi assim que passou o mês de agosto por aqui. Fomos para o Brasil, comemoramos o primeiro ano do Gael, voltamos, e ele começou na creche.

Continue lendo

post

A vida a três no estrangeiro

A vida a três no estrangeiroUma das coisas que mais sinto falta nessa vida a três aqui em Oslo é ter a opção de deixar Gael com alguém por um momento para dar uma escapadinha. Além de claro ter a família perto, isso é indiscutível, mas ter uma avó para ligar e pedir para ficar com Gael um pouco faz falta sim. Não é que eu não queira ficar com meu filho, não me entendam mal, mas eu gostaria sim de poder fazer a unha de vez em quando. E isso eu não faço desde que voltei do Brasil em janeiro.

Sim, eu poderia fazer a unha enquanto ele dorme, mas sempre que ele dorme é aquela coisa de querer ganhar o mundo e fazer tudo da lista, mas a lista nunca termina. E às vezes a lista é apenas deitar no sofá e relaxar um pouco. É bem verdade também que quando ele está acordado eu prefiro estar com ele, pois já passo o dia longe, então são 2 horinhas que temos juntos e passa rapidinho. Por isso que eu vou na academia depois que ele dorme.

Continue lendo

post

A primeira reunião de pais

20160616_155840Ontem participamos de nossa primeira reunião de pais. Sinal de que nosso filho cresceu, ou nem tanto assim, mas de que o tempo passou e ele vai começar na creche.

Para mim, ir para a creche parecia um caminho natural, após esse longo tempo de licença, mas agora que vai chegando a hora está dando um nervosinho. Acho que Gael vai se sair muito bem, adora encontrar crianças e brincar (ou roubar os brinquedos deles), mas e os pais como ficam?

Sei que muita gente fala, “é ótimo, eles se desenvolvem muito”. Vai ser bom em muitos pontos sim, mas o fato é que ele vai passar mais tempo do dia com outras pessoas e nós não estaremos lá para assistir suas descobertas. Mas vamos em frente que nada é para sempre.

Continue lendo

post

Ninguém falou que ia ser fácil, mas eu não esperava sentir tanta alegria

Ninguém falou que ia ser fácil, mas eu não esperava sentir tanta alegria

Tem dias que são muito difíceis nessa vida de mãe em um país estrangeiro. Ontem foi um desses dias por diversos motivos.

A noite até que não foi muito difícil. Mas mesmo assim não acordei muito bem. Acordei com saudades da família, do Brasil, do calor. Em breve estarei de volta ao trabalho e isso está me deixando com mais saudades do tempo em que passei junto com meu filho dedicado 100% a ele. Esse tempo nem acabou, mas eu já estou com saudades.

Continue lendo

post

A primavera chegou em Oslo!

Primavera OsloQuando me dei conta, o casaco estava esquentando demais, o céu estava azul, o sol brilhando, passarinhos pousavam na varanda. É oficial, a primavera chegou! Ainda faltam as flores, mas já sinto no rosto a mudança da estação.

E isso para quem mora aqui no norte é alegria pura. A época é deliciosa, os dias cada vez mais longos, as ruas e parques mais cheios, começam os primeiros churrascos. Qualquer coisa é motivo para ficar do lado de fora. Depois de tanto tempo dentro de casa e cobertos até a alma de lã, é hora de colocar o corpinho no sol para melhorar essa cor pálida e ir em busca de vitamina d.

Continue lendo

post

Final de semana pelo mundo. Como foi o seu?


Final de semana - Penedo

Final de semana começou cedo na ‘roça’. Demos banho no Mafuá, jogamos bola, fizemos farra até à noite. No dia seguinte,  fomos passear na Pequena Finlândia, um shopping temático aqui em Penedo, e arranjamos uma amiga. Depois fizemos farra em casa e o Mafuá roubou um brinquedo. Fechamos o dia com um passeio no Bier Park que montaram aqui. Corremos, brincamos, caímos e levantamos prontos para mais uma semana!

Final de semana - Londres

Nosso sábado começou com um delicioso passeio de trem pra conhecer mais a cidade. No caminho, comemos pão de queijo numa feira maravilhosa que fica na Duke of York Square. Depois fomos pro meu mercado favorito, o Whole Foods Market e na volta aproveitamos pra caminhar pela Kensington Park. Como o final de semana foi de muito sol, passamos o domingo no parquinho e finalizamos o dia com o Tom fazendo o que mais gosta com o papai, jogar bola e gritar GOOOOL!!!

Todo sábado de manhã pai e filho ficam sozinhos e eu aproveito para ter um tempinho só para mim. Eu amo ficar com meu filho, mas tirar essa manhã para fazer outra coisa tem sido muito bom. Esse sábado eu estava morrendo de preguiça e acordamos tão cedo por aqui que cheguei na academia ainda abrindo. Depois de uns minutos já estava bem mais disposta para aproveitar o dia em família. Fomos até o centro passear, encontramos amigos e almoçamos por lá. Domingo encontramos outros amigos, passeamos pelo porto, fomos num café delicioso português chamado “Pastel de Nata” e terminamos o final de semana visitando o Museu de Arte Contemporânea de Oslo. Foi a primeira vez de Gael no museu e ele assistiu tudo de camarote.

post

Meu parto: essa experiência que mudou tudo

IMG_0019Gael estava previsto para 6 de agosto de 2015. Dia 5 de agosto tive uma consulta com a parteira. Minha barriga ainda estava alta e ele não tinha encaixado. E aquela história de que “quando encaixar vai aliviar muito” não rolou para mim. Dor nas costelas e falta de ar até o fim. A parteira resolveu marcar uma consulta no hospital com 42 semanas, caso não acontecesse nada até lá, eles decidiriam o que iam fazer, se iam induzir e como.

Voltei com aquilo na cabeça. Meu pai estava aqui em Oslo e só ia ficar mais duas semanas. Se ele demorasse para nascer não ia dar muito tempo para ficar todo mundo junto. Cheguei em casa, coloquei no youtube “prenatal yoga” e fiz uma hora e meia de aula.

Continue lendo