post

Gael e os Parques

20160603_111427

Uma das melhores coisas da região onde a gente mora em Oslo é a proximidade de 4 parques diferentes. Temos o St. Hanshaugen, o Slotts Park, o parque da igreja e o menor, mas não menos melhor, o parque da esquina. Eu não sei o nome do parque da esquina, mas como ele fica na esquina de duas ruas, apelidei de parque da esquina. O Gael adora todos principalmente porque têm um monte de grama para ele arrancar. Estou pensando em fazer uma proposta para os administradores para contratarem a gente como arrancadores oficiais de praga, porque o Gael adora arrancar as florzinhas amarelas.

Ficar em casa o dia todo pode ser muito bom por um tempo, mas para um bebezinho agitado que adora explorar tudo não é tão legal assim. Ainda mais num apartamento pequeno como o nosso. O Gael se diverte bem em casa na primeira parte do dia, que vai mais ou menos até um pouco depois do almoço. A partir dessa hora, derrubar os livros e brinquedos da estante, ou tirar todas as roupas das gavetas já não é tão mais interessante assim, então a melhor saída são os parques.

Continue lendo

post

Atenção, papai está de licença!

Há exatas duas semanas e dois dias começava minha licença paternidade, uma nova fase e uma nova aventura com o Gael. Nas próximas oito semanas será eu e o Gael, o Gael e eu, durante a maior parte dos dias.

20160507_113800

Antes de qualquer coisa, vale um pequeno esclarecimento. Aqui na Noruega quando o casal engravida, temos basicamente duas opções; na primeira opção nós temos direito a 100% do salário e 39 semanas e na segunda opção podemos escolher ganhar 80% e ficar 49 semanas de licença. A gente fez as contas e chegou à conclusão que a opção de 39 semanas era a melhor. Dessas 39 semanas, 10 semanas são garantidas para o pai, 10 para mãe e o resto podemos dividir da forma que a gente achar melhor. Como queríamos que o Gael amamentasse o máximo possível na divisão eu fiquei “só” com as 10 semanas padrão mesmo.

No início eu imaginei “que beleza 10 semanas em casa, que ótimo, de volta a escola, quase 3 meses de férias”. Altos planos, não vou parar em casa, vou mudar tudo em todas as bicicletas, entre outras coisas. Pois é, o lance é que junto com as “férias escolares” vem um pacotinho que necessita de atenção 157% do tempo em que está acordado para evitar algum acidente mais sério. Um dia no almoço conversando com um amigo que tem 2 filhos, ele me contou que no primeiro filho ele tinha planejado algo parecido, mas que ele mal tinha tirado as bicicletas da garagem. Nessa hora percebi que a realidade era outra e meus planos mudaram para um pouco mais “modestos”: fazer trilhas, passear bastante, ou seja, curtir o verão na Noruega fora de casa. Em alguns dias nos finais de semana, a Carol ia malhar e eu ficava com o Gael sozinho. Se ela demorava um pouco mais, eu tinha que preparar o almoço dele antes dela chegar e fazer dormir quando ela estava cansada, eita trabalhão! Bom, chegando mais perto da data da licença bateu o desespero, “não vou dar conta de fazer isso tudo sozinho e ainda sair de casa”. Mas alguns planos continuavam, não envolviam mais bicicletas nem trilhas longas, mas sair de casa com certeza. A Carol tentou me acalmar e falou eu ia conseguir, falou para eu ficar tranquilo, e assim meio cabreiro, esperando o pior, chegou o primeiro dia, que ainda bem era numa quarta feira, assim eu teria um período de adaptação.

No primeiro dia definitivamente eu não estava preparado. Tocou o despertador, aliás o Gael acorda as 5:30, e a Carol começou a se preparar para trabalhar, amamentou a ferinha e eu me preparei para o primeiro desafio: o café da manhã. Eu decido jogar na segurança, maçã, cottage e pão, nada de mingau ou outra coisa mais arriscada. No café da manhã correu tudo bem, comeu a maçã quase toda e devorou o resto, ufa, menos um. Segundo desafio: a soneca da manhã. Com duas horas cravado acordado o Gael começa a coçar o olhinho, aí vem o primeiro bocejo, é hora de dormir. Vou lá preparar o quarto, barulhinho, escurinho, tudo pronto, vamos para a bola, e até que ele dorme rápido. Coloco no berço, ok, dormiu, fecho a porta, ligo a camera no Ipad, e espero. De olho no relógio, limpo a mesa, coloco as louças na máquina de lavar, faço mais uma coisa ou outra, depois de 25min sento no sofá. 30min cravados, “Buaaaa”, o Gael acordou. Vou até o quarto e tento fazer dormir de novo, meia hora depois e nada, decido sair do quarto e soltar ele pela sala mesmo porque ele já estava cansado de tentar dormir e eu cansado de tentar fazer ele dormir. É, para quem falou que as coisas seriam fáceis, meia hora é a sina, hehehe.

O almoço foi tranquilo, ele até que comeu bem e fez pouca bagunça. Óbvio que para preparar o prato não foi tão fácil assim, vai Gael para a cadeirinha e papai pulando e fazendo graça enquanto eu faço o prato dele e tento preparar e esquentar o meu. Depois do almoço, deixo brincando mais um pouco em casa e vamos passear de carrinho para o Gael dormir, a gente saiu às 13h, era para ele dormir 13:30, deu meia hora e nada, 13:50 e nada. Aliás, nada não, ele começa a reclamar e chorar no carrinho. Tentei passar pelo o paralelepípedo com bastante tremedeira, normalmente funciona, mas não adianta nada. Então pensei colocar no canguru, mas cadê o ergobaby? Deixei em casa? Perdi? Não, o ergobaby  ficou em casa mesmo, então vamos voltar. Tentei quicar na bola de pilates e após 30 minutos nada muda. Resolvo ligar para a mãe:
–Olha não dormiu ainda, tentei na rua e em casa e nada, vou deixar ficar acordado.
–Não, Conrado, tenta de novo, que ele VAI dormir.20160603_153842

Ok, Mamãe, vamos para a bola de novo, pego o Gael todo serelepe e vamos para o quarto. Nessa tentativa ele dormiu, deixo dormir mais um pouco no colo e coloco no berço, bom agora vai, penso eu. Saio do quarto, bebo um copo d’agua, suspiro, quarenta minutos se passaram e pronto o Gael acorda, feliz da vida!! QUARENTA MINUTOS, vou repetir QUARENTA MINUTOS!! Fiquei logo preocupado, se ele dormir só isso eu não vou conseguir nem fazer as coisas da casa, quanto mais descansar um pouco. É, essa licença vai ser complicada. Mais tarde, por volta das 16:30, a Carol chega em casa e eu declaro encerrado meu turno, totalmente acabado. Vendo minha situação ela me acalma e diz que vai tudo melhorar, afinal foram muitas mudanças, ele vai se acostumar e eu também e tudo vai ser mais tranquilo. Assim vamos todos dormir, e já me preparando para o segundo dia, tiro aquele sono pré-prova.

Chega o segundo dia e as coisas melhoram. Pela manhã ele dormiu mais de uma hora direto e fomos para a aulinha de música. Lógico que eu saio atrasado e tenho que esquentar a comida dele no microondas, mas tudo bem porque ele comeu tudo, dormiu bem a tarde também e ainda tivemos natação depois. Nesse dia eu fiquei menos cansado apesar de ter mais atividades. E do segundo dia em diante as coisas foram ficando mais fáceis. Alguns dos meus planos mirabolantes não se realizaram ainda, mas já consegui ir ao parque, passear no lago, entre outras coisas. Posso dizer que estou me divertindo bastante agora, é muito bom ver que ele curtindo, se desenvolvendo, aprendendo coisas diferentes como, descer do sofá sozinho, fazendo amizades com todos os bebês do parque. Enfim, não tive mais nenhum dia muito complicado e espero que tudo continue assim nas próximas semanas e que eu esteja preparado para a próxima fase que vai ser liberar o pacotinho para a creche. Até lá vamos ter muitas aventuras e vou contando as maiores por aqui.

20160530_144110