post

Trocando ideia: o achado da semana.

Se tem uma coisa que eu gosto nessa vida, é compartilhar ideias e achados de coisas que vou descobrindo por aí. Desde músicas, receitas, lugares, pessoas, livros… Se é bom, tenho o maior prazer em passar pra frente.

Bom, semana passada, minha sogra e sogro chegaram aqui em casa e na mala, além de muito amor, trouxeram várias encomendas que eu havia feito no Brasil e só estavam esperando uma boa alma trazer. Dentre elas, o mais esperado de todos: um livro. Mas não era um livro qualquer…

Já tem um tempo que acompanho o blog da Estéfi Machado… Imagino que muitos de vocês já a conhecem… O blog é simplesmente MARAVILHOSO! Estéfi é daquelas mães superprendadas, que fazem uma simples caixa de papelão virar uma televisão maneiríssima, e ainda por cima te “convence” que você também consegue. Bom, a moça tem mil e uma qualidades, mas, para mim a maior de todas, é como ela nos inspira a dedicar nosso tempo com a criança. Como ela mesma disse: “laços profundos se criam quando a gente fabrica a brincadeira com nossos filhos”. E eu acredito nisso profundamente.

Essa lindeza de pessoa  lançou um livro. E foi esse livro que semana passada chegou em minhas mãos. O livro se chama: O Livro da Estéfi: Crafts para fazer em família. Gente, pensa em um livro lindo!!! O livro vem com mil ideias pra fazer com as crianças em dias de chuva, dias de sol, festas… Aqui em casa chegou na hora certa, já que o frio e a chuva já andam batendo à porta, então, nada melhor do que ter atividades pra fazer dentro de casa.

Bom, se vocês acham que a moça me conhece… nunca me viu mais gorda e nem sabe quem eu sou. Estou compartilhando com vocês porque achei esse livro tão legal, que merecia um post. Se vocês não conhecem o blog dela, vale muito a pena passar horas navegando. Ela também escreve pro blog americano Handmade Charlotte, que também é muito legal!

Algumas fotos do livro e do blog:

c055c608-ab8e-4044-a765-458e946a5783

Esse é o livro.

chamada_tuba

Olha que bacana pra fazer com as crianças e depois elas brincarem na água. Foto: Éstefi Machado/ http://www.estefimachado.com.br

e7ed6f8dd09d100020879c2878b2dcbc

E esse Beatles feitos de palitos de sorvete?! Foto: Estéfi Machado/ http://www.estefimachado.com.br

tv-papelao-estefi

A próxima caixa de papelão que chegar aqui em casa já tem destino. Não é o máximo?! Foto: Estéfi Machado/ http://www.estefimachado.com.br

Espero que curtam o blog e o livro, pra além disso, que possa servir de inspiração pra brincar junto com os filhos e transformar esses momentos simples, em mágicos.

Ah! Se vocês têm sites, músicas, livros ou ideias bacanas, compartilhem na nossa página ou aqui nos comentários… Vamos amar!

Beijos e até

 

 

 

 

post

Ideias para distrair o bebê sem precisar falar “não” para tudo

Antes do Gael nascer li alguns livros, vi vídeos no youtube e acompanhei blogs. São muitas dicas e experiências e a gente foi separando as que achava mais interessante.

Uma que pareceu ótima era evitar dizer “Não” para seu filho. Não que isso signifique que tudo está permitido, mas recomenda-se evitar essa palavra ao falar com ele. Por exemplo, se ele quer comer a carteira do pai, a gente fala “Isso é do papai Gael, devolve para ele”. Ao invés de dizer “Não Gael!”. Isso porque guardando o “não” para situações especiais seria mais fácil ele entender, quando, por exemplo, estiver na beira de uma escada e você gritar “Não!”, ele saberá que é realmente importante.
É claro que, como muitas outras coisas que a gente imagina antes do nascimento, na prática não é tão fácil. É muito difícil principalmente quando é alguma coisa que precisa ser resolvida rapidamente ou quando, além de cuidar dele, temos que preparar a comida ou botar roupa para lavar. Agora que ele está super explorador está cada vez mais difícil e percebi que havíamos banalizado o “não”. Era “não” para tudo. “Não Gael”. “Não vai para a varanda!”. “Não joga o sapato do seu pai!”. “Não come a vela!”
Gente, estava me achando a mãe mais chata do mundo. Nada pode! É muito difícil achar um equilíbrio entre impôr limites e ao mesmo tempo deixar ele descobrir o mundo. Deve ser muito chato não poder fazer nada que ele quer.
Eu quero dar opções divertidas para ele e até deixo ele tirar coisas dos lugares, às vezes parece que passou um furacão por aqui. Quer tirar todas as fraldas do pacote, tira, depois a gente guarda. Mas sapato não rola deixar colocar na boca. E é muito chato falar não toda hora, falar “é sujo”, “é do papai e da mamãe” também não estão resolvendo. Acho mais fácil distrair com outras coisas.

Continue lendo