post

Natal na Noruega

Esse ano é o primeiro natal que vamos passar aqui depois de cinco anos. Apesar de sentir falta da família, estou tentando olhar as coisas boas daqui. Além de ser o primeiro natal com neve de verdade e não de isopor como no Rio, tem muita novidade para nós brasileiros, por isso resolvi separar algumas para falar aqui.

Lysfesten: A festa das luzes acontece no início do inverno. Quando os dias curtos e as noites longas se tornam mais marcantes. Na creche do Gael foi organizada uma festa para pais e crianças. Muitas velas foram colocadas dentro de potinhos de vidro que eles mesmo pintaram. Foram servidos sopas e legumes grelhados, cantamos músicas e passamos um agradável tempo celebrando o início dessa época de natal. Eu fiquei muito feliz de estar participando pela primeira vez de uma festinha da creche do meu filho, um momento para ser lembrado.

img_7282

Calendário do Advento: Marca a contagem regressiva para o natal. Muitas famílias fazem um calendário para as crianças com cartolina e desenham 24 janelinhas, a partir de 1. de dezembro vão abrindo uma janelinha por dia. O mais comum é colocar um presentinho por dia, mas pode-se criar outros prêmios alternativos para quem não quiser comprar tantos presentes. Já vi mães trocando brinquedos com outras mães, sem ter que comprar novos e na creche do Gael fizeram um caledário com vários corações grandes de cartolina e um número para cada dia, Gael ganhou o dia 5 e ficou super contente. É também muito fácil encontrar esses calendários prontos para vender que já vem com prêmios, aí depende do orçamento de cada um.

É tradição também colocar um arranjo com quatro velas e acender uma a cada domingo que antecede o natal. A origem dessas coroas vem de uma tradição pagã européia. Conta-se que, na escuridão do inverno, ao redor de folhas eram acesas velas que simbolizavam o “fogo do deus sol” com a esperança de que sua luz e seu calor voltassem. E para evangelizar as pessoas, os primeiros missionários aproveitaram a tradição, dando novo significado a esse costume.

Luciadagen – Dia de Santa Lúcia: Celebrado dia 13 de dezembro, é uma tradição aqui na Escandinávia. As crianças costumam vestir-se de branco, e se deslocam em grupo, tipo uma procissão, cantando músicas tradicionais e segurando velas (ou luzes). É também típico comer “lussekatt”, que é um pão de açafrão e passas.

4178990133_50e2c74e90_b

Lussekatt açafrão

img_7299

Gael fazendo o seu pão na creche

Mercados de natal: é muito comum ter mercados de natal nessa época. Aqui em Oslo tem um bem tradicional no centro da cidade, onde transformam um lago em pista de patinação e montam também restaurantes e outras atrações como roda gigante e carrossel. Eu adoro ir lá, nunca acho nada de interessante para comprar, mas gosto do clima do local.

csm_stjernehimmelen_handlegate_soft_opening_9077851c18

Klementine: Essa época do ano tem cheiro de tangerina. A fruta aparece à venda aos montes em todos os mercados e deixa um cheiro marcante no ar. Como brasileira eu nunca imaginei dizer isso, mas depois de morar tantos anos aqui eu digo: Natal tem cheiro de tangerina. Em todos os lugares que você vai te oferecem uma, dessas bem pequenininhas, que é fácil comer várias. No trabalho as pessoas compram sacola e distribuem, na natação do Gael tem uma cesta para os pais que assistem a aula, as lojas colocam cestas com frutas também. E ninguém reclama do cheiro, é o aroma dessa época.

Julebord: É como os noruegueses chamam os jantares de comemoração de final de ano. A partir de novembro já começa a acontecer. As empresas organizam suas festas, amigos marcam jantares, todos valorizam muito esses encontros e colocam suas melhores roupas. No meu trabalho as pessoas se vestem de forma super informal, mas no jantar é como se fosse casamento no Brasil.

Decoração: É costume limpar a casa para receber os amigos e decorar ela toda. Colocam as velas do Advento e Estrelas iluminadas na janela. As árvores de natal costumam ser de verdade ( a nossa é de plástico), nessa época surgem várias opções com árvores fresquinhas para a sua casa. Se tiver disposição você pode também ir na floresta cortar a sua árvore, existem regiões onde é permitido. Parece uma ideia linda e divertida, mas pelo que fui informada se torna um programa de índio, já que não é fácil cortar, depois tem que amarrar, carregar até o carro… Enfim nossa árvore é de plástico porque achamos que Gael ia derrubar e não queria terra pela casa. Aliás, esse é o primeiro ano que montamos uma árvore, afinal é o primeiro natal que passamos aqui e ele é muito especial, pois é o primeiro natal de verdade do Gael, no outro ele era muito pequenininho. Montamos a árvore super animados com a reação que ele teria, mas Gael foi bem tranquilo, curtiu as luzes e gosta de tirar as bolinhas, pede para colocarmos na árvore de novo e depois tira mais uma vez e por aí vai… Mas na maior parte do tempo ele nem dá muita bola para a árvore.

Nisse: O papai noel aqui é diferente. É um gnomo que vive nos celeiros das casas e toma conta dos animais. Ele deve ser tratado bem e no Natal ele espera receber uma boa tigela de risgrøt (veja próximo tópico) . Se for bem tratado, continua a tratar dos animais e até distribui presentes. Na verdade dizem que esse é o papai noel original, o que conhecemos foi introduzido pela cultura americana. Diz a lenda que caso não seja bem tratado pela família, ele pode maltratar e até matar os animais dos quais cuidou. Na dúvida, mesmo não tendo animais, melhor deixar a tigelinha à mostra.

Comida típica: Esse tópico merece subtópicos:

Risgrøt: Creme de arroz doce. Este é o prato oferecido aos nisse no Natal. Nele, é costume esconder uma amêndoa e quem encontra ganha um julegris, que é um porquinho feito de marzipã. Tem também uma variação que alguns chamam de riskrem, uma sobremesa servida gelada feita à base de arroz com adição de creme e cauda de frutas vermelhas.

risengrynsgrot

Pepperkake: biscoitinhos de gengibre. Muito comum comprar a massa, moldar em casa e decorar com docinhos, ou fazer uma casinha de biscoito. Alguns se reúnem e montam cidade de pepperkake.

2432455214_ec5fb56a27_b

Pinnekjøtt, lutefisk e ribbe: São os pratos típicos da ceia. Pinnekjøtt e ribbe são mais populares que o lutefisk, que mereceria um post só para ele. Basicamente é peixe com soda cáustica, se tiver interesse de entender melhor isso aí, clica aqui. Ribbe é costela do porco, que eles assam com uma camada enorme de gordura e deixam no forno em alta temperatura até essa parte ficar dourada e crocante. O Pinnekjøtt é costela de ovelha salgado e seco.

Comemoração do Natal: Começa no dia 23 à noite, acendendo as luzes da árvore, reunindo a família e cantando músicas juntos. E continua o dia 24 inteiro, não precisa esperar até de noite!

Enfim, essa época é muito comemorada por aqui. Acho que se jogar nas festas é também uma forma de encarar essa época do ano que é tão difícil, fria e escura, precisamos mesmo encontrar os amigos e nos aquecer, pois é só o início do inverno. Depois se eu lembrar de mais alguma coisa depois atualizo isso aqui. Espero que gostem 🙂

dsc_0030

post

Chegou a hora do desmame. E agora?

2016_10_12_14_40_09_oneshotHá alguns meses vinha imaginando como seria o desmame do Huguinho. Há mais de um ano já havia conseguido fazer o desmame noturno, ou seja, nada de mamar no peito de madrugada, mas o desmame completo eu não tinha nem ideia de como seria possível.

Para mim, o processo começou com pesquisas na internet e pedidos de dicas para amigas. Mas parecia algo tão distante, tão surreal e impossível de acontecer no curto prazo. A questão é que o Huguinho já estava com 2 anos e quatro meses e, embora tenha amado amamentar, já estava me sentindo muito cansada fisicamente.

Continue lendo