post

Mudanças de hábitos

paternidade

Antes do Gael nascer eu tinha hábitos de uma forma geral mais noturnos, nunca precisei dormir muito. Sempre gostei de dar aquela descansada pequenininha em casa depois do trabalho, entre 17:00 e 20:00 largado no sofá vendo qualquer bobagem na TV. Depois desse breve descanso, era que eu começava a me movimentar para fazer alguma tarefa doméstica. Isso sempre deixou a Carol meio incomodada porque ela sempre foi de jantar e dormir cedo. Então, para mim, dormir cedo era cair na cama às 23:00 e jantar antes das 20:00 era coisa de maluco.

Durante a gestação, a mamãe do Gael começou a se sentir muito cansada; primeiro a hora de deitar na cama passou de 23:00 para às 22:00, eu achei ok, é sempre bom dormir um pouco mais cedo mesmo, mas não esperava o que estava por vir. As descansadas de apenas 3 horinhas foram reduzidas. Agora era um pouco de TV e ajudar com o jantar e fazer as outras tarefas o quanto antes. Outra pequena mudança, mas até aí tudo bem, quando tinha algum jogo de futebol bom ou algum bom filme na TV, eu conseguia esticar a hora de dormir até a o fim do que quer que fosse. Isso sem contar que antes fazíamos verdadeiras maratonas de alguma série que a gente tinha gostado, sempre me lembro que vimos as duas primeiras temporadas de Game of Thrones em um final de semana. Pois já durante a gestação, devido ao cansaço da futura mamãe, as maratonas de séries passaram a ter no máximo dois episódios e olhe lá. Como estávamos vendo tudo que queríamos num ritmo um pouco mais lento, mas conseguindo acompanhar tudo que queríamos, não teve nenhum problema. Hoje em dia com o Gael, quando conseguimos ver 1 episódio por semana já é uma conquista.

Como diz o clichê, mãe se prepara 9 meses para ser mãe e pai é pai de um dia para outro. Nunca gostei de clichês, mas esse me pegou de jeito. Embora eu visse toda a mudança acontecendo com a Carol, pelo menos na minha cabeça a ficha ficou ali naquele entra não entra até o dia do parto, quando ela caiu pesando umas 500 toneladas. Por mais que eu tivesse comprado e montado o berço e preparávamos um monte de coisas para a chegada do Gael, a fichinha na minha cabeça ficava ali pendurada na borda, como uma bola de basquete rodando no aro antes de entrar. Parecido com uma corrida de longa distância, você vai comendo os quilômetros até ver a chegada, mas só quando cruza a linha é que se dá conta de que correu uma maratona. Pois com o Gael foi igual, eu percebia o tempo passando a barriga crescendo, mas o final sempre parecia distante. Enfim, dia 07 de Agosto ele chegou e os meus hábitos noturnos foram de vez embora.

paternidadeAgora chegar em casa e descansar, bom, só se ele estiver tirando a usual sonequinha de 30 minutos, senão é entrar de cabeça nas explorações do Gael. Porque às 17:00 a mãe já está pra lá de cansada e merece muito mais que um descansinho.  As noites ainda são uma aventura à parte, algumas mais tranquilas em que ele acorda duas vezes, outras bem agitadas em que o Gael acorda literalmente a cada hora. Mas ao mesmo tempo, ver aquele sorriso desdentado quando chego perto dele vale o descanso. Em relação às noites, ele que me aguarde, eu já tenho um plano (não conta para ele!), quando ele estiver com uns 15-16 anos e quiser dormir até meio dia no domingo, já estou planejando umas corridas ou pedaladas às 5:30 da manhã com meu filhão.

5:30, como que é essa história?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *