O que é esse colar no pescoço do seu filho?

Foto:joaosouzaphotos

 COLAR DE ÂMBAR: O que é? E pra que serve?

Desde que chegamos ao Brasil para as férias, uma das frases que mais ouço quando saio com o Tom é: que colarzinho é esse que seu bebê usa?!  Confesso que já ouvi coisas bem engraçadas a respeito do colar no pescoço do Tom…

“É proteção espiritual?”

“É pra parecer carioca?” (Para quem ainda não sabe, Tom nasceu e vive na Noruega)

“É moda na Europa?”

“É pra equilíbrio energético?”

Bom, é por causa dessas e outras perguntas, junto aos diversos olhares de estranheza para o bendito colar, que resolvi falar e contar um pouquinho da nossa experiência com o colar de âmbar.

A primeira vez que vi um colar de âmbar foi numa viagem que fiz pra Nova Zelândia. Confesso que fiquei impressionada com a quantidade de crianças usando. Desde então, fiquei super curiosa pra saber do que se tratava, sem falar, que achei um charme! Combinava muito com a vibe do local. No começo pensei que fosse algo ligado aos Maoris (povo nativo), mas depois acabei descobrindo que era usado em crianças na faixa etária entre 8 meses até 3 anos de idade. Acredita-se que finalidade é ajudar a amenizar  os sintomas da dentição.

Mas o que é o Âmbar?

O âmbar é uma resina vegetal que se tornou fóssil há aproximadamente 50 milhões de anos e é encontrada principalmente na região dos Bálticos – inclusive as propriedades do colar só valem se as pedras forem dessa área. Nele se encontra o ácido succínico – estudos afirmam que esse composto químico fortalece o sistema imunológico, estimula o sistema nervoso e melhora a atividade metabólica. Por isso, o âmbar atuaria como analgésico e anti-inflamatório natural.  Fonte: Revista Crescer

E para que serve?

Segundo as mães que usam , e pessoas que pesquisam a respeito sobre o assunto, em contato com a pele do bebê, as pedras do colar se aquecem e liberam quantidades minúsculas do ácido succínico no corpo. De acordo com a experiência delas, o acessório auxilia especialmente durante a fase de dentição, por aliviar dores e desconfortos como inchaço da gengiva e febre. Fonte: Revista Crescer

 Juntando essas informações e já sabendo o que o nascimento dos dentes poderia vir a causar para muitos bebês (e seus pais), resolvi pedir para minha grande amiga, que mora na Nova Zelândia, mandar um autêntico colar de âmbar pro Tom. O primeiro dentinho dele só nasceu quando ele completou 1 ano. Até então, como ele nunca havia nos mostrado sinal de que os dentes iriam apontar, não nos preocupamos em colocar o colar, só começou a usar aos 11 meses de idade. Se ele de fato pode ser um facilitador nesse processo de transição e neutralização dos sintomas, ajudando os bebês passarem por esse processo de forma mais tranquila, por que não tentar? Sou muito mais adepta a tentar primeiro os recursos naturais (que não façam mal e testados) a depois, se necessário, usar um medicamento.

Mas deixando claro, o colar de âmbar não tem nenhuma comprovação científica, e a Associação Brasileira de Odontopediatria tem como posicionamento oficial a não recomendação do colar de âmbar durante a fase de dentição justamente porque existe um grande medo quanto ao uso do colar, relacionado, especialmente, à asfixia ou à criança engolir as pedrinhas, caso o cordão venha a arrebentar.  Por isso,  fiz questão de ter um colar com certificado de autenticidade e cumprir todas as normas de segurança para não acontecer nada com meu filho.

Quais são essas normas?

1.O fio deve ter um nó entre cada conta. Assim, em caso de ruptura, apenas uma cai.

2.Em qualquer idade, o colar deve ter entre 33 e 36 cm, para não ficar apertado nem frouxo.

3.Recomenda-se tirar no banho para evitar o desgaste do cordão.

4.O fecho deve ser de rosquear e coberto por âmbar, para o bebê não conseguir abrir.

5.Fiquem atentos para o uso durante a noite. A recomendação é tirar o colar para dormir. Acompanhem de perto o uso do colar! Prestem atenção à reação do bebê quando o objeto é colocado: se ele se incomoda, tenta puxar ou nem nota… Usando desde cedo, as chances de seu filho se acostumar são maiores.

E para finalizar, a pergunta que não quer calar: FUNCIONA mesmo???

Bom gente, com o nosso filho tem ajudado bastante. Tom nunca apresentou febre, mudanças absurdas de humor, diarreias e outros sintomas, que dizem trazer o nascimento dos dentes. É claro que percebo que ele mama muito mais no período em que estão saindo os dentinhos e prefere alimentos mais sólidos, que os mais pastosos… Mas tirando isso, Tom nem se dá conta que tem um colar no pescoço e nunca o vi tentando tirar ou algo parecido. Por isso, sigo tentando e SEMPRE observando, até o momento que não achar mais necessário.

Já que vi pouquíssimas pessoas usando no Brasil, e também não vi vendendo em lojas físicas, gostaria muito de indicar lugares para vender. Fiz até uma busca rápida de lugares que vendem no Brasil, pra quem se interessar poder comprar… mas confesso que desisti de postar. Penso que é algo muito sério pra indicar sem saber a origem. Mas se você se interessou, faça uma busca detalhada em sites brasileiros. Caso conheçam ou estejam indo pra Europa, ou lá pras bandas da Nova Zelândia, Austrália, onde é muito comum o uso, peçam o de vocês. Nunca se esquecendo do certificado, em qualquer lugar do mundo! E se tem alguém aí que conheça algum lugar que venda aqui no Brasil ou se tem alguma dica pra dar, compartilha aqui no MAMA. Vamos adorar trocar experiências!

Beijos e até!

Mariana

 

16 thoughts on “O que é esse colar no pescoço do seu filho?

    • Oi Camy! Que bom ter você aqui! Super recomendo o colar!
      E volte sempre! Você e suas duas preciosas experiências tem muito pra trocar com a gente!
      Beijocas!

  1. Eu moro em Natal/RN e só conheci uma bebê que usa aqui. Conheci isso através dela quando tava grávida, e a mãe dela me contou o que era. Disse que ela sofria muito, e quando começou a usar, melhorou. Minha filha tá com 04 meses, mas já estou pensando em comprar. Só não sei aonde ainda!

    • Olá Manuela! Fico muito feliz que você tenha entrado e participado do nosso blog! Esse espaço é pra isso mesmo, pra gente trocar! Como disse, o colar faz muito bem pro nosso filhote e acho uma boa você tentar também. Pesquisei e achei algumas lojas virtuais que vendem aqui no Brasil. Tenho certeza que você vai achar um lugar que venda um colar com a pedra verdadeira. Se você quiser, me manda um email, que eu te passo os que eu achei… ai vc procura ver se é verdadeiro e se segue todas as normas citadas a cima. email: contato@mamaconnection.com.br

      Beijos e volte sempre!

  2. Achei muito legal este colar!! Eu curto muito usar coisas naturais antes de partir para remédios! Sem dúvida quando tiver o segundo filho, vou querer.
    Muito legal este site…os assuntos estão super interessantes!
    Parabéns!

    • Que bom Lari que você se interessou e pensa em usar com seu segundo filho! Acho que você vai amar!
      Volte sempre e compartilha com a gente suas experiências!
      Beijocas!

  3. Excelente post, tema super interessante e pouco divulgado! Parabéns pela iniciativa meninas, mesmo quem ainda não é mãe, se interessa pelos assuntos que vocês abordam. Já sou fã, sucesso!!!

    • Oi Danielle! Fico muito feliz que você tenha gostado do tema! Realmente não é muito divulgado aqui no Brasil…
      Apareça sempre!!!
      Beijao!

  4. Eiiii Mari,

    tao bom saber que o Tom usa bastante o colarzinho. Fico super feliz! Post bem esclarecido e explicadinho. Parabens pelo site, meninas. Lindo trabalho!

    Bjsss!

    • Oi Fernanda! Que dó que o Asafe esteja passando por esse processo tao chato e delicado… procura nos sites e se vc quiser, posso te mandar a pesquisa que fiz e vc procura saber se cumpre todas as normas… me manda um email caso queira: contato@mamaconnection.com.br

      Beijocas! melhoras pro filhote e obrigada por ter compartilhado sua história!

  5. Olá querida, tudo bem? Estamos indo para Sydney próximo mês e estou pensando em comprar para minha bebê, você sabe que tipo de loja eu posso encontrar em Sydney? Grata pela ajuda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *