Para tudo tem uma primeira vez

gael

Na primeira vez que peguei meu filho nos braços ele estava com os olhos arregalados e chegou encolhidinho, meio pálido. As esfermeiras faziam cosquinha para fazê-lo chorar e abrir os pulmões. Mas ele só fazia uns barulhinhos baixos e olhava arregalado sem entender o que estava acontecendo. Estava muito cansado depois de um longo trabalho de parto. Eu só conseguia olhar e acariciar e sorrir. Sempre que pensava nesse nosso primeiro momento me imaginava chorando muito e acabava chorando só de pensar. Mas eu não chorei, só conseguia sorrir.

A nossa primeira noite juntos foi bem tranquila. Ele dormiu no bercinho da maternidade ao lado da minha cama, um sono tranquilo que me deixou até preocupada pois mamou quase nada no primeiro dia. “Ele pode estar muito cansado”, diziam as enfermeiras. Não deu outra, a segunda noite foi a noite da amamentação.

Continue lendo

Festa de 1 ano pra quê?

FOTO post 1

Foto: Pinterest

Daqui a 2 dias vamos comemorar o aniversário de 1 aninho do Tom. A cabeça está a mil e o coração explodindo de alegria! A data mesmo já passou, mas como não estávamos no Brasil, deixamos pra festejar agora com a família e os amigos “brazucas”. 

Mas o mais engraçado é que sempre disse pra mim mesma que não iria fazer festinha de 1 ano, seria somente um bolinho e pronto. Até porque, a criança, não se lembra de absolutamente nada! Porém, depois desse primeiro ano, meus pensamentos mudaram. Não que eu ache que precise rolar festas com altas produções, pelo contrário, o desejo é comemorar, independente da forma que for! 

Continue lendo

Maternidade: sonho, realidade e olheiras!

huguinho

O Huguinho foi tão sonhado, programado e planejado que veio sem pedir licença! Já chegou chegando, literalmente! O meu marido foi o primeiro a ter certeza de que eu estava grávida. Na época, além do trabalho de jornalistas, tínhamos uma loja de produtos turísticos aqui em Penedo, e em meio à loucura das nossas vidas, resolvemos subir a serra em um feriado de meio de semana para descansar um pouco. Bastou eu dizer que estava com vontade de comer um chocolate que ele passou dois dias garantindo que eu estava grávida. Assim que voltamos para casa fiz um teste de farmácia para acabar com aquela “falação”, mas ele tinha razão.

A partir daí as nossas vidas tinha que mudar. Eu já estava com quase oito semanas de gestação. No geral a minha gravidez foi bem tranquila. Tive poucos episódios de enjoo e mal estar. O que mais incomodou foi uma dor nas costas que me acompanhou durante o último trimestre, mas nada que tirasse a nossa empolgação.

Continue lendo